Órgãos de Portugal

Home • Órgãos Históricos • Órgãos Modernos • Artigos • Discografia • Partituras • Podcasts • Agenda • Links

 

Órgão da Igreja de São Sebastião

 

Localidade: Setúbal

Localização: Coro Alto

Construtor: Anónimo

Ano Construção: 1720

Último Restauro: 1992 por António Simões

Estado: Operacional

Foto

 

Foto gentilente cedida por: José Carlos Araújo

Disposição dos Registos

I - Teclado

(Dó - ''')

Mão esquerda (Dó - dó')
Flautado de 12 aberto
Oitava Real
Flautado de 12 tapado
Flautado de 6 tapado
Dozena
Quinzena
Dezanovena
Cheio 4v.
Clarão 3v.
Trombeta real
Trompa de Batalha *
 

 

Mão direita (dó#' - ''')
Flautado de 24
Flautado de 12 aberto
Oitava Real
Flauta Travessa
Flauta Napolitana
Voz Humana
Dozena
Quinzena
Cheio 4v.
Corneta 3v.
Trombeta magna
Clarim *
 

* - Palhetas Horizontais

Acessórios: Pedais para ligar e desligar cheios

                                                                                                     Pedais para ligar e desligar  as palhetas horizontais

                                                                                                     Mecânica para ligar e desligar cheios de mão esquerda

                                                                                                     Acoplamento de pedaleira ao manual

 

Nota:

O órgão histórico da Igreja de S. Sebastião de Setúbal é um instrumento característico da manufactura portuguesa da segunda metade do Século XVIII. É um instrumento simples, de um só teclado com 51 teclas (dó a ré’’’), com 23 meios-registos, apenas com pedais para cheios e trombetas em chamada. Na fachada possui alguns tubos flautados, como o Flautado de 24 de mão direita, assim como dois meios-registos de palhetas horizontais. O estado actual deste instrumento resulta de uma intervenção realizada em 1992 pelo organeiro António Simões, no decorrer do qual foi acrescentada a pedaleira que ainda lá se encontra, assim como os seus dois registos, e o sistema de acoplamento entre a pedaleira e o manual.

 

Registos e nota enviados por José Carlos Araújo